nde-ed.org Indice de Eletricidade ROCarneval

EE25 - CORRENTES PARASITAS (EDDY CURRENTS)

traduzido do sítio: http://www.nde-ed.org/EducationResources/HighSchool/Electricity/eddycurrents.php

Após ler essa seção você estará apto ao seguinte:

  • Explanar o que são Correntes Parasitas.
  • Discutir o principal requisito necessário para uma corrente elétrica ser induzida em um objeto.

Na discussão da página anterior nós aprendemos a indução eletromagnética. Aprendemos que sempre que um condutor fosse posicionado em um campo eletromagnético variável corrente elétrica é gerada no condutor. Comentamos que o condutor é um fio freqüentemente enrolado na forma de uma bobina, mas o condutor não precisa estar na forma de uma bobina e nem mesmo tem que ser um fio. Pode ser, por exemplo, uma lâmina de aço ou de alumínio, ou qualquer outro objeto de material condutor. O único requerimento é que o objeto deve ter a habilidade de conduzir corrente elétrica.

formacao corrente parasita ima

Quando corrente é induzida em um condutor tal como uma placa quadrada de metal, como mostrado na figura acima. A corrente induzida sempre flui em pequenos círculos que são mais fortes na superfície da placa e penetram um pouco na espessura do material.  O percurso do fluxo de corrente na superfície da chapa se assemelha aos redemoinhos ("eddies")  que se formam em cursos d´água quando tem que contornar obstáculos no caminho. Por causa dessa semelhança visual essas correntes são chamadas em inglês de "eddy currents" (em português correntes parasitas).

Usos das correntes parasitas

Semelhantemente a nossa descrição do transformador, essas correntes parasitas geram seu próprio campo magnético. Ficou claro, que ela (corrente parasita) é uma corrente elétrica, e que qualquer corrente elétrica fluindo  em um condutor produz um campo magnético. A detecção e a medição da intensidade dos campos magnéticos produzidos pelas correntes parasitas  nos permite conhecer informações de materiais condutores mesmo sem necessitar de contatá-lo eletricamente. Por exemplo, a condutividade elétrica de um material pode ser determinada pela intensidade das correntes parasitas induzidas nesse material. Também porque a presença de trincas e de outras interrupções na continuidade metálica do material dificultam a circulação das correntes parasitas nessas regiões da superfície o uso do ensaio permite sua detecção. Isso é o emprego do princípio das correntes parasitas como ferramenta dos ensaios não destrutivos (END). Inspetores de END e engenheiros empregam o ensaio de correntes parasitas para detectar trincas e outras descontinuidades em componentes de aeronaves e de outros sistemas onde acidentes podem acontecer devido a fratura dessas peças. Na próxima página aprenderemos princípios do ensaio de correntes parasitas e o exemplo de uma inspeção com a técnica.

Revisão

  1. Qualquer objeto de metal sofrerá a indução de correntes parasitas na sua superfície se colocado na presença de um campo magnético variável.
  2. Correntes Parasitas (Eddy currents) são correntes elétricas circulares induzidas por uma corrente CA de uma bobina vizinha.
  3. As correntes parasitas geram seu próprio campo magnético.

https://rocarneval.neocities.org/EE_25-EddyCurrents.html

PÁGINA ANTERIOR https://rocarneval.neocities.org/EE_24-InducaoEletromagnetica.html

PRÓXIMA PÁGINA https://rocarneval.neocities.org/EE_26-ENDmaisECP.html

ÍNDICE https://rocarneval.neocities.org/EE_00-Indice(Eletricidade).html